Dispositivo de uso obrigatório no Brasil evita choques elétricos em crianças. Porém, não é utilizado na maioria das residências


Publicado em 28/09/2016Segmento: Sala de Imprensa


Dispositivo de uso obrigatório no Brasil evita choques elétricos em crianças. Porém, não é utilizado na maioria das residências

Dispositivo pode evitar mortes por eletricidade

Fio desencapado na boca, dedinho na tomada ou na geladeira: todas estas condições não causariam nenhuma morte caso os brasileiros cumprissem uma norma que torna obrigatório o uso de um aparelho chamado Dispositivo Diferencial Residual (DR).

Pequeno e quase imperceptível aos olhos dos leigos, o DR é nada mais que um protetor de vidas, utilizado nas instalações, que evita que a corrente elétrica cause um dano na pessoa que tocar a eletricidade.

O DR protege contra choques elétricos e apesar de ser de uso obrigatório desde 1997 (NBR 5410), sua exigência não é seguida na maioria das residências, principalmente em construções antigas que não foram modernizadas.

Com o DR os acidentes com eletricidade são evitáveis. “O dispositivo reconhece que por determinada fiação está vazando um percentual de corrente elétrica diferente do habitual, como no caso de uma criança colocando uma chave na tomada. Assim, o DR desarma os circuitos que estão ligados a ele interrompendo o choque elétrico”, explica o Engenheiro Eletricista Fábio Amaral, diretor da Engerey Painéis Elétricos.

Segundo registros da Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade (Abracopel), entre as principais vitimas de acidentes com eletricidade estão as crianças, com idade entre 0 e 5 anos.  Somente em 2015, foram 32 mortes no país, 50% a mais que em 2014, ano que registrou 20 mortes. Entre as principais causas estão justamente as tomadas sem proteção, os fios desencapados, extensões, e a fuga de corrente em eletrodomésticos (ventiladores, geladeiras e máquinas de lavar).

O Engenheiro Eletricista explica que a inclusão do DR é realizada no quadro de disjuntores da residência. É importante contratar uma empresa especializada para a fabricação e montagem do painel elétrico e um profissional habilitado para a sua instalação. “A inclusão é simples e rápida e garante maior segurança às famílias”, afirma.

Segundo Amaral é importante lembrar que o DR também protege as residências contra incêndios, que são ocasionados na maioria dos casos por curtos circuitos.

A NBR 5410, que determina o uso de DR, estará sendo debatida no Circuito Nacional do Setor Elétrico (CINASE 2016), na tentativa de esclarecer as determinações da regulamentação e elevar a conscientização a cerca do tema. O evento acontece em Curitiba (PR) dias 13 e 14 de Outubro.

Dispositivo Diferencial Residual (DR).

 

ESTATÍSTICAS

 

PARANÁ

No Paraná, foram registrados 28 mortes por choque elétrico segundo o último levantamento da Abracopel, sendo 7 em residências.

Os curtos circuitos também estão entre os principais motivos dos incêndios. No Estado, a Associação indica 39 casos, com 6 mortes. 

SANTA CATARINA

Santa Catarina é o estado em que menos acontecem choques elétricos fatais do Sul do país. Foram registrados 26 casos em 2015, uma relação de 3,86 para o número de habitantes. 

RIO GRANDE DO SUL

Rio Grande do Sul é o estado da região sul com o menor índice de incêndios com mortes segundo a Abracopel. Foram 13 casos sem nenhum registro de morte em 2015, contra 39 casos e 6 mortes no Paraná e 22 casos em Santa Catarina, com 1 morte.

BRASIL

No Brasil foram registrados 590 acidentes envolvendo eletricidade, sendo que 250 destes se referem a choques fatais.

As residências estão no segundo lugar no ranking dos locais em que mais ocorrem acidentes. Foram 144 mortes em 2015, logo atrás das registradas na rede de distribuição elétrica, com 213 ocorrências.

 

 

Para mais informações sobre quadros de baixa tensão:

www.engerey.com.br/paineis-eletricos/quadro-geral-de-baixa-tensao


enviar por e-mail